quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Assinado convênio para construção do novo bloco da UEM


Na quarta-feira (06), o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Alípio Leal e o reitor da Universidade Estadual de Maringá – UEM, Júlio Santiago Prates Filho, assinaram convênio no valor de R$ 4,1 milhão para a construção do novo bloco para o campus de Umuarama/Centro de Tecnologia.

Todo o processo para a conquista teve início no mês de agosto com a visita do secretário Alipio Leal ao campus de Umuarama, atendendo a convite do deputado federal Osmar Serraglio, que vinha insistindo com o mesmo sobre as necessidades de ampliação e investimentos. O compromisso do Governo se deu durante audiência no mês de novembro em Curitiba, após análise do projeto defendido por Serraglio e também pelo deputado estadual Fernando Scanavaca.

A obra que terá estrutura para 5 pavimentos, terá inicialmente 3 e uma área de 3.600 metros quadrados, com salas de aulas, laboratórios, biblioteca, sala de professores e setor administrativo. O objetivo é concluir esta primeira etapa em 2013 e, em seguida, deverá ser concluído auditório e os outros dois pavimentos. A obra deverá ser licitada no início do próximo ano.

 “Estamos atendendo a um pedido do deputado e uma justa reivindicação dos alunos, que tive a oportunidade de verificar a dedicação e um brilhante comportamento quando da nossa visita ao campus com o Serraglio”, disse Alípio Leal. Para o reitor Julio Prates, “a melhoria na infraestrutura tem como foco oferecer melhores condições para a pesquisa, o ensino e a extensão”.

Para o diretor professor Osvaldo José dos Santos, que participou do ato da assinatura em Maringá e da audiência em Curitiba, é uma grande conquista para o campus. “Estamos procurando melhorar a estrutura para oferecermos melhores oportunidades de aprendizado para os nossos alunos”, disse.
Já o deputado Osmar Serraglio que disse se sentir agradecido pela agilidade com que o Governo está tratando o assunto lembrou que a UEM e os acadêmicos de Umuarama merecem essa atenção. “Estamos procurando retribuir os resultados que os nossos acadêmicos tem nos apresentado. Eles têm sido muito bem avaliados”, disse.