quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Relator Osmar Serraglio comemora condenação de envolvido no “mensalão”


O relator da CPI dos Correios do Congresso Nacional, deputado federal Osmar Serraglio (PMDB), comemorou nesta quinta-feira (dia 2) a primeira condenação de um envolvido no esquema de corrupção de parlamentares, empresários e autoridades públicas conhecido nacionalmente como “mensalão”.

O advogado mineiro Rogério Lanza Tolentino foi condenado pelo juiz da 4ª Vara da Justiça Federal, Alexandre Buck, à pena de sete anos e quatro meses de prisão e ao pagamento de uma multa de R$ 2 milhões. Além disso, o advogado está proibido de exercer cargo ou função pública por 14 anos e oito meses. Ele era o advogado e ex-sócio da SMPB&Comunicação, empresa que pertencia a Marcos Valério de Souza, acusado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) de ser o principal operador do “mensalão”.

“Quando concluímos o relatório final da CPI dos Correios, nós afirmamos que os envolvidos no mensalão seriam rigorosamente punidos e que a Comissão não terminaria em pizza. Fico feliz de saber que a Justiça Federal tornou realidade as nossas previsões, motivo pelo qual entendo que o Judiciário e o ministro Joaquim Barbosa (relator do processo no STF) merecem elogios”, comentou Serraglio, um dos únicos deputados “ficha-limpa” do Congresso Nacional escolhidos pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

No recebimento da denúncia pelo STF, o ministro Joaquim Barbosa afirmou que Tolentino "atuava como verdadeiro braço direito de Marcos Valério, acompanhando-o em reuniões com outros acusados, indo à sede de empresas aparentemente envolvidas no suposto esquema de lavagem de dinheiro e inclusive fazendo repasses de dinheiro através de sua empresa, Lanza Tolentino & Associados".