terça-feira, 22 de setembro de 2009

Bancos que abasteceram o mensalão são condenados pelo Banco Central


Relator da CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio, comemora: “essa é mais uma comprovação de que houve investigação séria”.

A CPI dos Correios, que investigou o mensalão não acabou em pizza. De acordo com reportagem publicada hoje, no jornal Folha de São Paulo, os bancos Rural e BMG receberam a primeira condenação do Banco Central por financiamento do esquema. Se a punição for confirmada, 17 diretores não poderão mais exercer suas funções e as instituições financeiras terão de pagar multas de até 200 mil reais.

De acordo com o jornal, o Banco Central já enviou ao ministro Joaquim Barbosa, relator da ação penal do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), documento informando que os bancos, já em 2008, foram considerados culpados em dois dos três processos administrativos relacionados á participação das instituições na facilitação e financiamento do esquema de corrupção. Os bancos ainda podem recorrer da decisão.

O mensalão foi um esquema de pagamento de propina para parlamentares em troca de apoio ao governo. Revelado em 2005 por denúncia do então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), o esquema resultou na queda de José Dirceu, na época ministro da Casa Civil e homem de confiança do Planalto. Recentemente, a Procuradoria da República em São Paulo, denunciou à Justiça Federal o banqueiro Daniel Dantas e mais 13 pessoas por suposta participação no financiamento do esquema. As investigações que motivaram a condenação no Banco Central, divulgadas hoje, mostraram que parte do dinheiro utilizado no caso foi proveniente de empréstimos de fachada tomados no Banco Rural e no BMG.

As duas medidas têm como base o relatório elaborado pelo então relator da CPI dos Correios, que investigou o mensalão, deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR). Serraglio diz estar satisfeito por ver materializados os resultados de seu trabalho na Comissão. Segundo ele, muitos processos tramitam em diversos juizados, inclusive no Supremo Tribunal Federal, decorrentes dos trabalhos da CPI. “Essa é mais uma comprovação de que houve investigação séria. Esperamos que as autoridades competentes emitam decisões condizentes com a coragem e profundidade das investigações que realizamos”.