terça-feira, 31 de agosto de 2010

Osmar Serraglio recebe apoio de taxistas


O deputado federal Osmar Serraglio (PMDB – número 1533) coleciona mais uma conquista importante na sua campanha à reeleição: o apoio maciço dos taxistas da Região Metropolitana de Curitiba. Nesta segunda-feira, a candidatura do deputado recebeu a adesão formal de dirigentes da classe durante reunião na sede da Rádio Taxi Sereia. “Estamos com o deputado porque ele tem feito muito por nós”, avalia Francisco Castro, presidente da Central Rádio Táxi e uma das lideranças mais importantes da categoria na Região Metropolitana.

Serraglio defende a proposta de que os profissionais sejam proprietários em definitivo das concessões dos táxis, o que possibilitaria a transmissão deste bem às suas esposas e herdeiros. “É um prazer trabalhar para garantir maior segurança e qualidade de vida a vocês, que prestam um serviço de importância tão grande à sociedade”, comentou o deputado, que também recebeu o apoio de duas importantes lideranças do Paraná: o deputado estadual Rafael Greca de Macedo (ex-prefeito de Curitiba) e o vereador Jairo Marcelino.

“O Osmar é um dos deputados mais sérios do Brasil. Na CPI dos Correios, da qual foi relator, tentaram corrompê-lo, mas viram que isso é impossível porque o Serraglio é um político absolutamente honesto”, comentou Marcelino. Por causa do trabalho do deputado na CPI, 120 pessoas foram indiciadas por corrupção. Greca também elogiou o deputado. “O Serraglio sempre foi um político sério e por isso merece nosso respeito e o nosso apoio”, comentou.

Serraglio agradeceu o apoio e prometeu ainda mais empenho na defesa dos taxistas. “Só tem um jeito de honrar o apoio da classe: continuar trabalhando com seriedade em benefício da categoria, fazendo com que vocês se orgulhem do seu voto”, finalizou Serraglio, que foi primeiro-secretário da Câmara Federal (o primeiro paranaense a ocupar o segundo cargo mais importante da Casa nos últimos 47 anos) e o único paraense indicado oficialmente pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) como um dos 17 deputados federais “ficha-limpa” do Congresso Nacional