terça-feira, 12 de julho de 2011

Vice-líder Serraglio diz que o Governo respeita a agricultura familiar


Vânio Pressinatte, da assessoria
O vice-líder do Governo na Câmara, deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR), que é também membro da Frente Parlamentar da Agricultura, disse nesta terça-feira (12), logo após o lançamento do Plano Safra para a Agricultura Familiar na cidade de Francisco Beltrão, no Paraná, que o Governo da Presidenta Dilma Rousseff respeita e valoriza a agricultura familiar. “Ela sabe a importância que a agricultura familiar tem para a produção de alimento e o que significa para a economia nacional o incentivo ao setor”.

Segundo Serraglio, a prova do respeito à agricultura familiar é que o Governo não se limitará aos R$ 16 bilhões previstos para a safra 2011/2012 e, se necessário, colocará mais recursos a disposição. O deputado destacou também a Política de Garantia de Preços Mínimos, a redução dos juros para os financiamentos pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), além da atenção especial dedicada pelo Governo no que diz respeito a habitação e infraestrutura para as pequenas propriedades, como a internet Banda Larga a custos acessíveis. “Uma forma de garantir conforto as famílias dos agricultores”, destacou.

Ele lembrou ainda que a agricultura familiar é responsável pela produção de 70% dos alimentos no país e que emprega 74% dos trabalhadores rurais. “Temos que dar o verdadeiro reconhecimento a esse setor que alimenta o país” disse.

Redução dos Juros - A taxa de juros que poderá ser cobrada dos pequenos agricultores nas operações de investimento reduziu de 4% para 2% para os empréstimos acima de R$ 10 mil. Para valores de até R$ 10 mil a taxa é de 1%. Foi alterado também o prazo para pagamento dos empréstimos: de oito para dez anos. Além disso, foi anunciada a ampliação do limite de financiamento para até R$ 130 mil.

Também teve aumento o valor pago pelo Seguro Para Agricultura Familiar (Seaf), de R$3,5 mil para R$ 4 mil. Ele é utilizado para indenizar o agricultor que perde a produção por fatores como geadas, secas, entre outros.