quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Lançada pedra fundamental do Centro de Formação Profissional do Senai



O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, o prefeito Moacir Silva e os deputados Fernando Scanavaca (estadual) e Osmar Serraglio (federal) lançaram na tarde desta terça-feira, 23, a pedra fundamental do Centro de Formação Profissional de Umuarama. O prédio ocupará uma área de 10 mil m² cedida pelo município, na parte de cima do Complexo Poliesportivo.
A agilidade da Câmara de Vereadores em aprovar a doação do terreno, desmembrado dos mais de 100 mil m² do poliesportivo, entre a Avenida Parigot de Souza e a rua Guaporé, foi elogiada por Campagnolo. “Isso demonstra a união das forças políticas em Umuarama, dos vereadores, prefeito e deputados que representam a cidade”, comentou.
O prédio terá 2.700 m² e um custo estimado em R$ 10 milhões, entre construção, equipamentos e infraestrutura. A obra tem início previsto para abril de 2013 e a conclusão é aguardada para janeiro de 2015. Dr. Osmar disse que os investimentos no desenvolvimento de Umuarama são um esforço conjunto, puxado pelo prefeito Moacir, e que envolve forças importantes como o governo e a Fiep. “O setor industrial enfrenta carência de mão-de-obra qualificada e este centro de formação vem suprir esta demanda”, comentou.
Para o deputado Scanavaca a unidade escola é um sonho a ser realizado, que começou ainda em sua gestão, quando o Sesi chegou a Umuarama. “Hoje reconheço a força do prefeito Moacir, que doou este terreno para o empreendimento que vai representar para a população muito mais que os R$ 10 milhões investidos, pois o conhecimento que ele vai propagar não tem preço”, emendou.
Moacir Silva destacou a visão do presidente da Fiep voltada para o interior, ao lançar uma obra tão importante para Umuarama, “que finalmente terá uma escola de formação profissional direcionada à indústria”. Avaliando a situação econômica, o prefeito disse que a industrialização passa pela transformação do setor agropecuário, aumentando a produção de matéria-prima, e também pela qualificação de mão-de-obra. “Para atrair grandes indústrias temos que, primeiro, criar as condições propícias. É isso que estamos fazendo, diversificando e aumentando a produção e, em parceria com a Fiep, preparando a mão-de-obra com qualidade”, completou.
Campagnolo lembrou as dificuldades enfrentadas pelo setor, que sofre processo de desindustrialização, pediu a agilização das reformas política e tributária e o apoio maior do governo federal para estimular também as reformas estruturais necessárias para devolver a competitividade da indústria nacional. Destacou as intenções políticas caminhando juntas em Umuarama, agradeceu a agilidade na aprovação e doação do terreno para o centro de formação profissional e disse que, em janeiro de 2015, quando a unidade for inaugurada, “vamos ajudar a consolidar a industrialização de Umuarama formando mão-de-obra qualificada e atraindo novos empreendimentos”.
Em seguida as autoridades descerraram a placa, marcando o lançamento da pedra fundamental. A obra está em fase de projetos e nos próximos dias segue para licitação.
 CURSOS
O diretor do Senai/PR, Marco Secco, informou que a diversidade do setor produtivo de Umuarama permitirá a realização de vários cursos para atender a cidade e também a região. As principais demandas estão nas áreas de metal-mecânica, alimentos, construção civil e indústria têxtil. O foco central será a manutenção de equipamentos industriais, além da serviços e rotinas específicas.
Haverá as modalidades de Formação Inicial e Continuada (FIC), com cursos de 160 a 400 hora/aula, e também cursos técnicos – com duração de 1.600 hora/aula (dois anos), tendo a tecnologia em informação (TI) como atividade transversal.
O projeto prevê o investimento inicial de R$ 7 milhões em obras civis e equipamentos. A maioria dos cursos será gratuita, mas haverá alguns cursos pagos – para alunos já empregados –, no horário noturno. A meta da unidade é atender perto de 1 mil alunos por dia (cerca de 300 alunos por período – manhã, tarde e noite). Serão aceitos alunos a partir dos 14 anos, mas a maioria dos cursos será destinada a estudantes de 16 anos acima.
Com a estrutura, a meta do Senai é formar 7 mil alunos por ano nos cursos técnicos e profissionalizantes, da cidade e mais 22 municípios atendidos pela unidade regional. Hoje, cerca de 3,5 mil alunos cursam o Ensino Médio ou participam de cursos no Sesi/Senai.
(ass. de imprensa da PMU)