quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Deputado discursa em homenagem a Auto Escolas

Hoje, dia 19 de novembro, comemora-se o dia da Auto Escola. Como lembrança deste dia e em homenagem ao trabalho dos profissionais de centros de formação de condutores de todo o país, o deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR) discursou no plenário da Câmara dos Deputados. O texto do deputado pode ser lido a seguir:

Senhor Presidente,

Senhoras e Senhores Deputados,


Hoje comemoramos o dia das Auto Escolas, conhecidas como Centros de Formação de Condutores.

Em 19.11.81, em Curitiba, houve o 1º Congresso Nacional das Auto Escolas, realizado no SENAC. Naquela ocasião se instituiu o Dia Nacional das Auto Escolas, que hoje comemoramos.

Desejo cumprimentar a todos os que militam nessa importante atividade, sobremodo aos paranaenses, o que faço em nome do presidente do Sindicato dos Proprietários de Centros de Formação de Condutores do Paraná, Sr. Justino Rodrigues da Fonseca, com quem tenho o privilégio da amizade de longos anos.

Aliás, neste momento, os presidentes de sindicatos de CFCs estão reunidos aqui em Brasília, sob o comando do Presidente da Federação, Magnelson Carlos de Souza, em que estudam com técnicos do DENATRAN e do SEBRAE mecanismos para aprimorar ainda mais a prestação de seus serviços nos CFCs.

São nossas auto-escolas que preparam o cidadão para não só dirigir seu veículo mas, acima de tudo, para evitar que mais se acentue um dos dramas que tanto afetam nossa sociedade: os acidentes de trânsito. Alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que o Brasil tem o quinto maior número de mortes no trânsito de todo o mundo. A OMS utilizou dados de 2007, com o objetivo de comparar todos os países. Segundo dados oficiais naquele ano, houve 35,1 mil mortes causadas por desastres com automóveis no Brasil. São mais de 80 pessoas por dia, ou 1 a cada 18 minutos. Especialistas acreditam que esse número pode ser bem maior, pois só são contabilizadas as mortes que ocorrem no local do acidente. Em termos absolutos, o número brasileiro só é inferior ao de outros quatro países: Índia (105,7 mil), China (96,6 mil), Estados Unidos (42,6 mil) e Rússia (35,9 mil). A conclusão da pesquisa é que atualmente os acidentes nas estradas já são a décima maior causa de mortes no mundo. Segundo a OMS, esses desastres matam 1,2 milhão de pessoas por ano.

Outros dados relevantes confirmam que o acidente de trânsito é o segundo maior problema de saúde pública do Brasil, perdendo apenas para a desnutrição e que o trânsito é a terceira causa de morte do país ficando atrás apenas das doenças do coração e do câncer. O custo desse quadro gera para o Brasil, além das perdas humanas irreparáveis um prejuízo anual de mais de 10,0 bilhões de reais. São custos com perdas de produção, custos médicos, previdência social, custos legais, perdas materiais, despesas com seguro e custos com emergências entre outros.

Mesmo havendo todo o incentivo à segurança no trânsito, as estatísticas de acidentes no trânsito só serão reduzidas quando todos tiverem plena consciência de quão perigosa a direção imprudente pode ser.

Daí a importância das nossas Auto Escolas, que hoje homenageamos.

O serviço de formação de condutores é de grande importância para a sociedade, uma vez que a correta formação do condutor contribui para a existência de motoristas educados, conscientes e cuidadosos no trânsito. Essas características, que são inerentes a um motorista civilizado, contribuem para a diminuição de acidentes de trânsito, preservando vidas e evitando o desperdício de recursos econômicos imprescindíveis para uma sociedade em desenvolvimento como a brasileira.

As auto-escolas não formam o motorista pura e simplesmente. O processo de formação do condutor (motorista) compreende a formação técnica também chamada de teórica sobre legislação de trânsito e normas baixadas pelo CONTRAN; direção defensiva; proteção ao meio ambiente; prática de direção veicular; noções de cidadania e segurança no trânsito; relações públicas e humanas; noções de mecânica e manutenção veicular; especialização na condução de veículos de transporte coletivo de passageiros; especialização na condução de veículos de transporte escolar; especialização na condução de veículo de transporte de cargas perigosas; especialização na condução de veículos de emergência, e especialização na condução de veículos de transporte de passageiros.

Não existem dados que permitam avaliar se os acidentes ocasionados por falha humana, acontecem por imperícia de condutores bem preparados ou por despreparo dos condutores que nesse caso poderiam ser reduzidos com a melhoria na qualidade da formação dos motoristas.

Apesar de não ser possível estabelecer uma relação de causalidade entre os números de acidentes fatais ocasionados por falhas humanas e qualidade deficiente na formação dos motoristas, a implementação de melhoria na qualidade dos CFC’s terá como conseqüência imediata uma melhor preparação dos futuros motoristas e com isso uma redução nos números de acidentes ocasionados por falha humana.

A melhoria na qualidade da formação dos condutores certamente produzirá condutores mais qualificados. Assim está sendo atacada a principal causa de acidentes de trânsito, que é a falha humana. A busca permanente da melhoria da qualidade nesse serviço é de fundamental importância para a sociedade como um todo, pois seus reflexos vão gerar ganhos comunitários para todos, desde a preservação de vidas, até evitar perdas econômicas vultuosas.

Como parlamentar, tenho testemunhado, ao longo dos anos, o trabalho profícuo do Sindicato dos CFCs do Paraná, sob a batuta do Presidente Justino. Sua liderança se expressa na democratização das decisões da instituição, com suas repetidas viagens e reuniões por todo o Estado do Paraná. Por outro lado, seguidamente está no DENATRAN em Brasília e no DETRAN-PR, na luta incessante pela melhoria da legislação de trânsito, a partir das experiências vividas por seus associados.

No Paraná, graças à batalha para evidenciar a seriedade dos associados ao Sindicato dos CFCs, o Presidente Justino, juntamente com o DETRAN, implantaram, em todo o Estado, o controle biométrico da presença dos que freqüentam seus cursos, evitando burla no comparecimento e na carga horária. Além do controle digital, ainda há prova fotográfica daquele comparecimento. É o desejo do Presidente Justino de oferecer à sociedade um motorista mais sério, mais profissional e mais educado.

De igual modo, não só tem permanente preocupação com a melhor qualificação dos que atuam nos CFCs, como também no correto exercício do serviço público que lhes é delegado, de forma a preparar bons motoristas para nossas ruas e estradas.

Por isso, no dia das Auto-Escolas, desta tribuna do nosso Parlamento, cumprimento a todos os proprietários e funcionários dos Centros de Formação de Condutores deste País e, especialmente, aos meus amigos do Paraná.

Desejo que cada vez mais colham, junto a nossa gente, a credibilidade de que são merecedores pelo esforço que despendem para serem cada vez mais úteis para nossa sociedade.