sexta-feira, 27 de abril de 2012

Governador autoriza vestibular de medicina em Francisco Beltrão

O coordenador da Bancada Federal do Paraná e vice-líder do Governo na Câmara, deputado federal Osmar Serraglio, participou nesta sexta-feira (27), em Francisco Beltrão, com o governador Beto Richa, da assinatura do edital do primeiro vestibular do curso de Medicina no campus local da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Richa anunciou o próximo dia 30 de junho como data do início das inscrições para o concurso.


A nova faculdade de medicina vai funcionar em conjunto com o Hospital Regional do Sudoeste, que é referência em atenção de saúde na região. O primeiro vestibular abre 30 vagas e as aulas começam no início do próximo ano. O governador afirmou que a criação do curso de medicina em Beltrão faz parte de um compromisso do governo estadual de reestruturar o ensino superior do Estado. De acordo com ele, a instalação representa um investimento de R$ 20 milhões do governo estadual.

“A formação de profissionais de medicina na região é um pedido antigo da comunidade do Sudoeste que o governo está conseguindo atender”, disse Richa. “Por isso fiz questão de vir aqui e oficializar a instalação”, afirmou. “Não medimos esforços para garantir os recursos pois entendemos a importância do desenvolvimento social e econômico do Sudoeste”.

O governador disse ainda que a transformação do hospital regional em hospital universitário também representa um grande avanço. “A implantação do curso vai atrair mais profissionais de saúde para a região”, afirmou.

ESFORÇO - Segundo Richa, o governo estadual avalia a instalação de 50 novos cursos universitários em todo o Paraná. “Nossa vontade é atender a todos, mas infelizmente não temos recursos suficientes para isso”, explicou. “Fizemos um grande esforço para abrir este curso”.

Segundo Serraglio, o inicio do curso é de grande importância para toda aquela região e para o Paraná. “Medicina é ainda uma das maiores necessidades de formação em nosso país. Aqui teremos um curso com a qualidade que o ensino superior estadual tem oferecido nas suas universidades”, disse o deputado, lembrando que o sudoeste não dispunha até então de medicina na rede estadual.