segunda-feira, 2 de abril de 2012

Ministro da Justiça e Governador inauguram penitenciaria em Cruzeiro do Oeste


O vice-líder do Governo na Câmara e coordenador da Bancada Federal do Paraná em Brasília, deputado federal Osmar Serraglio, participou na sexta-feira (30) em Cruzeiro do Oeste, ao lado do governador Beto Richa e do Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, além de outras autoridades, da inauguração da Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste, com vagas para 720 presos.

Com a penitenciária de Cruzeiro, o governador Beto Richa diz que grande parte do problema prisional da região Noroeste está sendo resolvida. “Nossa meta é dar condições de vida mais dignas aos aprisionados, não violando seus direitos humanos. Não podemos admitir cadeias abarrotadas de presos, vivendo em situações desumanas. E o plano da Secretaria de Justiça, em parceria com o Governo Federal, é ter todos os detentos do Paraná trabalhando e estudando, com formação cidadã, para que sejam reintegrados na sociedade, depois que cumprirem suas penas”, relata.

Visitando o Noroeste pela primeira vez, o ministro José Eduardo Cardozo afirma que o sistema prisional do Brasil é tormentoso, com pessoas presas em condições inaceitáveis no que diz respeito à dignidade humana. “Hoje as cadeias são fábricas preparatórias para grandes delinqüentes, mas dentro do plano de melhoria do sistema prisional, proposto pela presidente Dilma, já foram investidos R$ 1,1 bilhão na construção de presídios e na mudança desse sistema, implantando dentro dessas unidades, formação educacional e cidadã, além do ensino profissionalizante”, informa o ministro.

Serraglio que ressaltou a importância da penitenciaria para o sistema prisional do Estado, fez questão de lembrar a parceria entre os governos Estadual e Federal e lembrou também sua amizade de longa data com o Ministro Cardozo, com quem já conviveu, além da Câmara dos Deputados e na CPI dos Correios, também na PUC São Paulo, quando deram aulas na faculdade de Direito.

Até o final de 2013, presos de 29 carceragens administradas pela Secretaria da Segurança Pública devem ser transferidos para o Sistema Penitenciário Estadual. Com a medida, a responsabilidade pela guarda dos detentos fica a cargo da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos.

A previsão do governo é que até o mês de junho, cerca de 2,5 mil detentos deixem as delegacias e distritos. A prioridade será a transferência das mulheres. Aproximadamente 660 presas que estão em delegacias na região de Curitiba e no interior serão levadas para uma unidade feminina no Complexo Penitenciário de Piraquara.